Casa do Medo

VOCÊ TERIA CORAGEM DE PASSAR 45 MINUTOS NESSA CASA?

SINOPSE

Casa do Medo_02Existe uma casa de dois andares em Porto Alegre que poucos conhecem, mas é uma das mais antigas da cidade e uma das mais assustadoras também. Desde 1916 pertence à família Petzhold e há muitos anos abriga uma tradicional escola de dança. Já as lendas assustadoras que rondam a casa são ainda mais antigas. Antes de ser comprada pela família Petzhold, há quem diga que a casa já serviu de residência para uma pintora belga, que mantinha seu filho trancado em um quarto do andar de cima pela vergonha do rosto desfigurado da criança. Em outra época, o local teria sido utilizado como casa de passagem de jesuítas, muitos vitimados pela terrível epidemia de cólera que devastou a cidade em 1855. Diversos corpos que foram encontrados em escavações recentes parecem confirmar a história. Para contribuir com a fama sombria do local, acredita-se que exorcismos tenham ocorrido no local. Na mais sinistra das histórias, uma empregada de estância foi enviada aos padres para que a livrassem do demônio, mas ela acabou desaparecendo após permanecer um mês no local.

É bastante comum ouvir relatos de músicas que tocam no quarto ao lado e param quando a pessoa se aproxima; de passos vindos do andar superior, mesmo com a casa vazia; de vultos, luzes piscando, objetos que somem. Atualmente, ninguém tem coragem de passar uma noite inteira lá, tamanho o medo que as pessoas sentem ao entrar no local à noite.

Com a popularização da casa e dessas histórias, muitas pessoas, de historiadores a cineastas, têm solicitado autorização para visitação noturna à Casa Cultural Tony Petzhold. Pensando nessa quantidade de relatos envolvendo o medo e o sobrenatural, a Macarenando Dance Concept, grupo de dança que realiza ensaios e apresentações no local, abre as portas da casa para visitações noturnas e apresenta ao público uma experiência inédita de terror imersivo: a CASA DO MEDO.

São realizadas poucas sessões. Cada sessão terá um público restrito de 13 pessoas. Portanto, não vá sozinho. Os participantes fazem a travessia pela casa, passando por diversas salas e ambientes escuros, palco das estranhas histórias que rondam o local. É uma experiência imersiva aterrorizante, com enigmas a serem desvendados e alguns sustos pelo caminho.

UMA VERDADEIRA EXPERIÊNCIA DE HORROR IMERSIVO
Não pense em túnel do terror, trem-fantasma ou similares de parques de diversão. A CASA DO MEDO é totalmente diferente das atrações de terror existentes no Brasil. Trata-se de uma visita a uma casa real, com histórias reais, que são reveladas durante a visita. E esta não é uma visita qualquer. É conduzida por uma encenação hiper-realista, com uma narrativa fragmentada pelos vários aposentos do local. Inspirada nos melhores filmes de terror, a passagem pela casa assemelha-se a um verdadeiro thriller de cortar a respiração. É indicado para os amantes do terror e não é aconselhável ao público mais sensível.

Esteja ciente dos sofrimentos que você terá lá dentro.

SUA CORAGEM SERÁ POSTA À PROVA
Além disso tudo, a CASA DO MEDO é também um jogo que envolve todos os sentidos, uma experiência de grupo e um teste de coragem. Como num game de survival horror, as pessoas passarão pela casa cumprindo objetivos de um jogo que se vai desenrolando durante a passagem, com tarefas a realizar, portas a desbloquear e missões a cumprir.

+ SOBRE A CASA
A casa situada na Av. Cristóvão Colombo 400, que hoje abriga a Casa Cultural Tony Petzhold, é um dos locais mais emblemáticos da história da dança em Porto Alegre. Nesse endereço, sob diversas gestões, formaram-se diversos artistas cênicos da cidade. A vocação do local remonta o ano de 1956, quando ali se instalou Escola de Bailados Clássicos Tony Seitz Petzhold. Mas as histórias e lendas que rondam o local não estão limitadas à arte, como atesta uma das atuais diretoras do espaço, Thais Petzhold, neta de Tony Petzhold:

“A família Petzhold comprou o imóvel em 1916, mas a casa data de época muito anterior, e cuja história completa perdeu-se no tempo, restando apenas rumores. Muitas pessoas já viveram aqui. O escritório já foi uma cozinha; a sala próxima da entrada foi o quarto da minha avó. Até mesmo o porão já serviu como residência de artistas consagrados, como Cecy Frank, um dos grandes nomes da dança moderna gaúcha. São tantas histórias emocionais intensas que se passaram aqui, desde amores a brigas terríveis, que a casa tornou-se um depósito de sentimentos. Muitas pessoas que eu conheço dizem ter visto e sentido coisas que não sabem explicar. Passos com a casa vazia, músicas que tocam no quarto ao lado e param quando a pessoa se aproxima, até mesmo presenças mais concretas… Eu, desde a infância, não tive coragem de dormir uma noite sequer na casa”.

REGRAS
1. As sessões possuem horários definidos, que devem ser rigorosamente cumpridos.
2. As portas abrem-se pontualmente no horário da sessão e fecham-se 1 minuto depois. Portanto, esteja presente com antecedência mínima de 10 minutos ao início da sua sessão.
3. A visita tem uma duração média de 45 minutos.
4. Cada sessão terá um público de 13 pessoas (máximo) e 4 pessoas (mínimo). Caso não haja o mínimo de 4 visitantes para determinada sessão, será disponibilizado o remanejamento para outro horário ou o reembolso do valor pago.
5. Ao entrar no local, o grupo receberá instruções sobre a visita, as regras que deverão ser cumpridas e também informações históricas adicionais sobre a casa.
6. Os celulares e aparelhos eletrônicos devem ser desligados e colocados em envelopes lacrados fornecidos pela produção. Todos poderão permanecer com seus envelopes e respectivos aparelhos, contudo, é expressamente proibido ligá-los durante a visita.
7. É expressamente proibido entrar na propriedade com: qualquer tipo de equipamento de captação de imagem ou som; qualquer tipo de objeto gerador de luz (lanternas, isqueiros, lasers ou outros); alimentos e bebidas; armas; objetos cortantes e perfurantes.
8. Uma vez iniciada a visita, é impossível sair na metade do caminho. Uma palavra-chave será informada pela produção para casos extremos e/ou de urgência.
9. É aconselhável roupa e calçado confortáveis.
10. A experiência não é recomendada para menores 16 anos, grávidas e pessoas com problemas cardíacos.
11. O valor do ingresso é por visitante.
12. Os ingressos são vendidos antecipadamente, online ou presencialmente (mais informações abaixo). Não há venda de ingressos na hora.

Mais informações
www.facebook.com/casadomedopoa
www.facebook.com/macarenando
casadomedo@macarenando.com.br